Sociedade da Justiça: Segunda Guerra Mundial – Um novo Universo DC

Sociedade da Justiça: Segunda Guerra Mundial – Um novo Universo DC

Sociedade da Justiça: Segunda Guerra Mundial é o mais novo filme animado da DC, sendo continuação direta de Superman: Homem do Amanhã e fazendo parte de um novo universo de animações da DC. Acompanhe abaixo nosso review SEM SPOILERS do filme.

O Enredo

Em Sociedade da Justiça: Segunda Guerra Mundial, o Flash Barry Allen auxilia o Superman a defender Metrópolis de um ataque de Brainiac. Durante esta ação, ao tentar impedir que o Superman seja morto com um projétil de Kryptonita, Flash corre o mais rápido que pode e pela primeira vez, viaja no tempo. Barry então se vê em plena Europa durante a Segunda Guerra Mundial e encontra um grupo de heróis de que nunca havia ouvido falar antes, a Sociedade da Justiça da América.

Sociedade da Justiça: Segunda Guerra Mundial
Flash Jay Garrick, Gavião Negro, Mulher-Maravilha, Homem-Hora e Canário Negro

Formada por Canário Negro, Homem-Hora, Gavião Negro, o Flash Jay Garrick e liderados pela Mulher-Maravilha, a Sociedade da Justiça luta contra o exército do terceiro Reich e corre contra o tempo, pois os nazistas estão trabalhando com forças muito maiores que a compreensão humana. E Barry Allen, que caiu de surpresa nisto tudo, vai ter que colocar toda sua força e coragem em jogo para vencer os nazistas e de algum modo, voltar para casa.

Sociedade da Justiça: Segunda Guerra Mundial
Canário Negro em Ação

Sociedade da Justiça: Segunda Guerra Mundial vale a pena?

Sim, demais! Sendo a segunda animação deste novo universo de filmes animados da DC, estabeleceu um novo patamar de qualidade e animação (as cenas de combates são incríveis) e mostra um roteiro muito bem montado e escrito. A animação traz também conceitos para ajudar a estabelecer este novo universo animado, criando várias ligações e apresentando personagens do universo DC de forma dinâmica, onde em poucos segundos suas origens são contadas.

O Flash Jay Garrick

Outro grande detalhe do filme, é a ótima caracterização dos anos 40 dos personagens, desde as roupas aos conceitos. Claramente percebemos o quanto Barry Allen está deslocado no passado perto dos outros personagens, tanto em costumes como no vestuário. Isso traz alguns diálogos engraçados e que ajudam a trama a seguir ser ser muito densa e chata.

O ponto alto do filme em minha opinião, é a caracterização da personalidade dos personagens e em especial, a Mulher-Maravilha. Aqui, vemos uma Diana em seu mais puro auge de força, beleza, coragem e acima de tudo, preocupada com seu dever. Embora já saibamos de seu “afair” com o piloto Steve Trevor, tudo na animação é feito de forma muito orgânica, mostrando pro espectador que vencer os nazistas é prioridade e que Hitler e seus asseclas, nunca descansam. Esta sensação permeia durante todo o filme, justamente pela personalidade da Mulher-Maravilha.

Cenas de ação extremamente fluídas e com impacto neste novo traço

As cenas de ação do filme são um show à parte. Todos os personagens do filme tem suas próprias cenas de ação e achei de um bom gosto incrível, este novo traço usado nas animações. Elas são coloridas, fluidas, e trazem impacto na medida certa. Temos aqui desde a Mulher-Maravilha espancando nazistas e destruindo tanques de guerra no soco, aos Gritos Sônicos da Canário Negro. Tudo isso, feito de forma funcional. Achei incrível como toda a ação do filme é muito bem dosada.

E por último, o desenvolvimento do Flash Barry Allen junto ao Flash Jay Garrick durante o filme. A troca de experiências entre os dois personagens é super orgânica e deveras engraçada. Mas isso também, nos mostra várias cenas incríveis que só o Flash ou melhor, dois “Flash”, nos proporcionariam.

A interação entre os dois Flash, é um dos pontos altos da animação

O filme traz muitas surpresas e revelações, bem como a inserção de novos personagens que não eram esperados para o longa. Como este é um review sem Spoilers da animação, vamos ficando por aqui.

Sociedade da Justiça: Segunda Guerra Mundial é um filme incrível e que mostra que este novo universo de animações da DC, veio para ficar. Assistam, se impressionem, e venham aqui contar o que acharam da animação para nós.

Nota – 10/10

Léo Palmieri

Léo Palmieri

Pai, marido, nerd. Fã do Surfista Prateado e do Superman, juntou uma equipe de super-pessoas para trabalhar no projeto Crossover NERD com o intuito de divulgar o belíssimo mundo geek!

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *