The Batman – Superando todas as expectativas

The Batman – Superando todas as expectativas

The Batman, do diretor Matt Reeves, é a mais nova versão do personagem para o cinema. Trazendo uma nova visão mais alinhada a influências diretas dos quadrinhos, o filme vem para marcar uma nova fase do personagem. The Batman estreia dia 03/03/2022 mas nossa equipe, teve o prazer de assistir o filme antes via cabine de imprensa. Neste review SEM SPOILERS, vamos abordar nossas impressões no formato perguntas e respostas para que você querido leitor, tenha uma ideia do que esperar da obra.

O “vampirinho” Robert Pattinson deu conta?

Em primeiro lugar, é importante salientar que todo ator tem que se render ao que roteiros/diretores querem deles durante suas carreiras. Edward de Crepúsculo é uma coisa, o Bruce Wayne/Batman de The Batman, é completamente outra. Desde o anúncio da escolha de Robert Pattinson, muitas pessoas estavam torcendo o nariz internet afora dizendo que a escolha foi ruim.

Não podiam estar mais errados!

Robert Pattinson entregou uma incrível atuação, extremamente alinhada à versão do diretor para o personagem e demonstrou claramente, que se preparou para o papel. Das cenas de luta às cenas mais detetivescas ou as dramáticas, vemos o PURO SUCO DO BATMAN DOS QUADRINHOS ali!

Robert Pattinson deu um show de interpretação no filme

O Batman detetive finalmente rolou?

Sim! Totalmente! O que vemos aqui não é só o Batman detetive, mas sim, um filme de investigação pesada, cheio de quebra-cabeças, com o Batman. The Batman tem situações e mais situações detetivescas, nos fazendo lembrar de memoráveis cenas de investigação do querido Batman: A Série Animada de 1992, tida por muitos como a melhor versão do herói fora dos quadrinhos. Além de tudo, o clima noir da trama, nos remete inclusive a quadrinhos dos anos 70, quando a dupla Denny O’Neil e Neal Adams faziam os quadrinhos do Batman.

Vale lembrar também, que além de toda investigação densa e cheia de encontros e desencontros, temos Alfred trazendo conhecimentos do MI-6 (Sim! Pra quem não lembra, o Alfred era agente secreto) e um Tenente Gordon (Sim, ainda Tenente) muito ativo. Finalmente, toda aquela tensão que sentimos lendo grandes quadrinhos do Batman como O Longo Dia Das Bruxas, está aqui!

O filme é extremamente detetivesco. A trama gira totalmente em torno de investigações

O elenco coadjuvante de The Batman, é bom como o da Trilogia Nolan?

Uma das coisas que fez a Trilogia do Batman do diretor Christopher Nolan algo único e épico, foi o elenco de apoio que era insanamente muito bom. Em The Batman, não é diferente. O tenente Gordon vivido por Jeffrey Wright por exemplo, é de longe a melhor versão em live action do personagem. Além de trabalhar muito bem junto ao Batman, a interpretação exalando a confiança dos personagens é muito aparente. A química é incrível!

A Mulher-Gato de Zoë Kravitz é perfeita! Do andar ao falar, da interpretação dramática ao estilo de lutar, temos a autêntica Mulher-Gato dos quadrinhos. Ela é sensual, corajosa e extremamente mortal! Um acerto absurdo no casting!

O Alfred de Andy Serkis por enquanto, não foi tão sarcástico quanto suas outras versões, mas aqui é claramente um homem de figura paterna e extremamente inteligente. A princípio, isso no filme nos causa estranhamento, mas com o desenrolar da trama, fica tudo muito mais claro.

O filme possui vários vilões. Embora todos saibam que o Charada, o Pinguim e a máfia de Gotham City estejam na trama, as interpretações entregues por Collin Farrell como Pinguim e Paul Dano como Charada foram coisa de outro mundo. A corrupção da cidade sempre foi um ponto importante nas histórias do Batman, mas aqui o roteiro foi todo emaranhado para todos os personagens convergirem nos acontecimentos do filme. Não tem pontas soltas, é tudo conectado.

A escolha do elenco do filme foi um acerto tremendo! O Filme tem uma trama incrível por si só!

A fotografia, sonoplastia e caracterizações ficaram boas?

O Filme tem uma caracterização incrível de Gotham City. A cidade é suja, sem esperança, cheia de bueiros esfumaçados, luzes vermelhas de becos e que exala perigo à cada esquina mostrada. O trânsito aqui, é o mais caótico já mostrado em filmes Live Action do Batman e rende, uma incrível cena de ação automobilística.

Outro fator importante, é que a sonoplastia de The Batman rouba a cena. Como um filme classificação 13 anos, não seria possível mostrar sangue muito aparente e violência explícita. Uma forma de mostrar por espectador que algo muito ruim aconteceu, foi o uso extremamente inteligente da sonoplastia que crescia em momentos de tensão e da magnífica trilha sonora, que converge com o filme. Não só a música do Nirvana, mas toda a trilha sonora de The Batman tem um uso vivo no filme. Pra quem gosta de uma trilha sonora que funciona junto com momentos do filme, dos mais básicos aos chave, vai adorar o que fizeram em The Batman.

A fotografia do filme é excelente! De cenas mais luminosas às cenas de penumbra, o filme dá um show de enquadramento. É notável que aqui, se preocuparam de estender os ângulos apenas quando era necessário, sem aquelas longas imagens com muitos elementos pra confundir o espectador. Ponto extremamente positivo.

Caracterização perfeita de Gotham City

As cenas de ação e lutas corpo-a-corpo estão aqui?

Sim! Totalmente. E o melhor de tudo, é que são lutas sem exagero de movimentos. É muito legal ver o Batman extremamente habilidoso em artes marciais da série de jogos Arkham, mas sabemos que para uma situação real de combate com vários oponentes, o Batman teria que usar golpes que valessem a pena e com o mínimo de exagero de movimentos. E aqui, todas as aplicações de golpes do Batman são bem colocadas e críveis. Além de tudo, o uso de seus “gadgets” como seu arpéu, Teasers e Batarangues são extremamente inteligentes. Vale lembrar, que as pancadas chegam a doer no espectador, com a ajuda da incrível sonoplastia do filme. O que mais me agradou, é que várias das cenas de luta não tem cortes, sendo feitas em take único, no melhor estilo de filmes de luta como Operação Invasão ou John Wick.

The Batman
O filme tem muita ação. E isso é explorado da melhor forma possível!

As cenas de ação de outras categorias como explosões, tiros, carros e outras paradas que todo mundo gosta, estão bem dosadas e trazem a adrenalina necessária. Não tem nada de coisas fora do comum como Tanques de Guerra ou algo assim. Por incrível que pareça, é tudo bem crível.

E o Batmóvel em The Batman?

O Batmóvel é um elemento da cultura pop que é vivo por si só. O Batmóvel é uma ENTIDADE! E Aqui, desde a primeira cena de ação com ele até o fim do filme, é impossível não se empolgar. Acertaram totalmente ao trazer uma versão V8 do lendário carro. A sonoplastia dessa versão do carro está excelente e surpreendente.

The Batman
Batmóvel do filme é um V8 muito mais que envenenado!

As influências de quadrinhos em The Batman são reais mesmo?

Sim. Totalmente! Vale lembrar que aqui, o Batman já está na ativa fazem dois anos. Mesmo assim, o filme tem elementos e referências de Batman: Ano Um, O Longo Dia das Bruxas e Batman: Ego, citando as principais. Mas fora isso, temos várias outras referências pontuais de vários quadrinhos da cronologia do morcego, principalmente de seus primeiros anos. Me senti lendo os famosos “Um Conto de Batman” que a saudosa Editora Abril publicava, e que traziam histórias do início de carreira do Batman. The Batman tem muito destes elementos.

The Batman
Batman: Ego, uma das principais influências dos quadrinhos em The Batman

E a parte psicológica do Batman no filme?

Aqui vemos um Batman obcecado por vingança contra a vilania de Gotham, que é extremamente inteligente, com raciocínio dedutivo e conhecimento técnico de criminalística. Isso é mostrado várias vezes no filme, como ele está atento a cada elemento das cenas do crime ou observando a todo momento como todos estão agindo. Uma característica que ele possui dos quadrinhos e que foi explorada de forma inteligente no longa. Porém, por ele estar há dois anos nesta obsessão, ele é passional, comete erros e é enganado. Isto é um elemento que todas as histórias de início de carreira do Batman traziam de forma bem explícita nos quadrinhos. Ver isso no filme, só o tornaram ainda mais incrível do que já é!

Esse universo de The Batman tem ligação com o universo DC anterior?

Não… E ainda bem!

Vale a pena ver The Batman?

Sim! Vale muito… Estas foram algumas das impressões que tentei passar sem entregar spoilers, mas mesmo assim, fica muito difícil falar mais… APENAS ASSISTAM! O Filme tem pontos que podem melhorar, claro, mas nenhum deles é contundente e atrapalham as TRÊS HORAS DE FILME! Sim, três horas. Mas que passaram rápidas demais pra este que vos escreve. The Batman sobe mais uma vez o já alto Status Quo do Batman, e com certeza, começou uma nova Bat-mania!

Nota do Redator: 5/5

Léo Palmieri

Léo Palmieri

Pai, marido, nerd. Fã do Surfista Prateado e do Superman, juntou uma equipe de super-pessoas para trabalhar no projeto Crossover NERD com o intuito de divulgar o belíssimo mundo geek!

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.