Eternos – Uma injeção de mais dez anos de vida para o MCU

Eternos – Uma injeção de mais dez anos de vida para o MCU

Eternos, o novo filme do MCU estreou no último dia 03/11 e trouxe um novo patamar para o universo Marvel nos Cinemas. Dirigido e roteirizado pela super diretora Chloé Zhao, o filme injeta uma carga absurda de entusiasmo para o futuro do MCU. Naquele nosso modo de perguntas e respostas, acompanhe nosso Review Sem Spoilers do filme.

O enredo do filme é bom?

Sim! Os Eternos são uma criação do Deus dos Quadrinhos Jack Kirby, em 1976. Os Eternos são o que podemos considerar como funcionários de elite das criaturas criadoras e mantenedoras do universo, os Celestiais. Logo no começo do filme, um pequeno texto é colocado para nós (no melhor estilo Star Wars) explicando o que é um Celestial, um Eterno e os Deviantes, que são no caso os “vilões” do filme. A missão básica dos Eternos em nosso planeta, é derrotar todos os Deviantes, para que a população do planeta prospere e cresça. A diretora Chlóe Zhao respeitou demais quase todos os aspectos originais de Jack Kirby, fazendo as mudanças necessárias para atualizar não apenas os Eternos, como toda a mitologia que os cercam. O filme é bem comprido, mas isso se faz necessário para explicar todos os conceitos e informações para o futuro (E sim, caro leitor… Eles são totalmente necessários para o que vem aí no MCU). O enredo não deixa pontas soltas, tudo tem resolução final e os ganchos do filme, um do final e outros dois vindo das duas cenas extras, mostram que vem muito mais por aí.

Eternos, de Jack Kirby

Como ficou a ação nos Eternos?

Olha… Além do ótimo roteiro, vimos aqui uma atualização total nos combates com super-poderes não só do MCU, mas de qualquer outra empresa que queira fazer filmes de super-heróis. Comparações com a DC serão feitas aqui, em especial com os poderes dos Eternos Ikaris (Poderes como o do Superman) e Makkaris (Poderes similares ao Flash). Dada as devidas diferenças, a forma como os poderes destes personagens foram usados em especial, é completamente diferente do que já foi visto nos cinemas. É impossível não se empolgar com a forma que Makkaris usa seu poder no filme e ao mesmo tempo, ficar chateado de ver a forma como estão tratando os poderes do Flash no cinema por parte da Warner/DC. Vejo isso como um ponto positivo, no sentido de que alguém veja isso e procure a melhora, e não a competição. Os poderes dos outros Eternos são incríveis também. Thena, vivida pela incrível Angelina Jolie cria armas de energia e é uma combatente sem igual! O Engenheiro Phastos (meu personagem predileto no filme, inclusive), usa seu poder de forma extremamente criativa e visual. Os poderes de ilusão da Duend também são muito bem feitos. O CGI trabalha para fortalecer o filme nestes aspectos.

E os Celestiais? E o Cavaleiro Negro?

Pois é… Aqui vemos o grande Arishem em sua plenitude (E tamanho). Sei que a comparação é simplória, mas me senti da mesma forma quando vi pela primeira vez, os efeitos especiais de Fúria de Titãs, de 1981. Fiquei impressionado como tudo era grande naquela época e desta vez, foi como me senti novamente ao contemplar um Celestial. Tudo do MCU até agora foi incrível, mas não dá pra comparar com um Celestial. É o absurdo do absurdo da coragem, e de um CGI bem feito. Aliás, no meu ponto de vista, não existem mais desculpas para adaptar qualquer coisa dos quadrinhos para o cinema. Os Celestiais são o que tinha de mais absurdo em tamanho no universo Marvel. Ou seja, Galactus da forma correta, já é uma realidade. Quando ao nosso querido Cavaleiro Negro, ele é introduzido… mas em doses homeopáticas. O resto, é spoiler pesado da trama.

Eternos
O imenso Arishem!

Como estão os visuais, fotografia em Eternos?

Este filme usou o CGI tecnicamente para os combates, Celestiais e outros detalhes. Aliás, ouso afirmar que foi o uso de CGI mais inteligente do MCU. Porém, todas as paisagens que vimos no filme são de locais reais. Locais incríveis foram locados para o filme e temos o vislumbre de como nosso planeta é belo. Aliás, Eternos não é só um filme de porradinha de super-heróis, ele é um filme sobre a preservação do planeta e da vida. O filme mostra paisagens de nosso planeta tão belas, que é completamente impossível não termos vontade de sair por aí viajando (ainda mais neste período de pandemia). O filme traz uma mensagem muito importante sobre isso. Aliás, é uma característica da Diretora Chlóe Zhao filmar em paisagens e enquadramentos abertos, para termos o vislumbre de todo o local. Esse é um ponto muito positivo do filme, onde toda a parte visual se mistura ao enredo de forma sublime.

Nossa… mas esse filme é comprido? Dá sono?

Não… não dá… O Filme começa te contando uma história. É mostrado através dos tempos, como os Eternos agiram junto a humanidade caçando os Deviantes. Vimos desde a antiga Babilônia, a conflitos como a Segunda Guerra Mundial. Vários eventos são mostrados. A divisão da história foi muito bem montada. Temos a contextualização em um ato, a busca no segundo ato e uma resolução incrível no terceiro ato. Tudo isso, de forma extremamente natural e sem forçar nada. Um detalhe que ajuda muito no filme, é que ele agrada tanto aos fãs de quadrinhos (com mudanças óbvias do original de Jack Kirby, mas que aqui funcionam com perfeição), quanto ao público que realmente é alvo do MCU, os leigos em quadrinhos. O filme foi muito bem pensado e roteirizado para que todo mundo ficasse impressionado e extasiado com o filme. O Andamento do filme ajuda demais e é perfeito. Em menos tempo, seria impossível contar a história desse filme de forma satisfatória.

O filme tem lacração?

Ah… vai se danar!

O filme tem representatividade?

Ah… agora sim! Sim, o filme tem muita representatividade. A começar por mudanças pontuais no gênero de alguns personagens (que no meu ponto de vista foi um acerto) e em várias outras características. Gostei muito de Makkaris ser uma personagem que só se comunica em Libras. Este é o tipo de magia que os filmes de super-heróis hoje em dia tem que se preocupar em trazer, a magia da identificação. Imagino como uma pessoa que se comunica em libras se sentiu ao ver uma heroína como ela mesma… Deve ser emocionante! Gilgamesh, um oriental, foi um ótimo acerto também, fora que o ator tem uma ótima carga dramática e humorística ao mesmo tempo. Kingo, um dos melhores personagens do filme, segue como sendo uma atualização real do que seria um imortal se adequando aos tempos (tem até citação a K-Pop e Bollywood). E, para terminar, Phastos, que tem um marido e um filho. Aliás, Phastos protagoniza as melhores cenas de comédia do filme pra mim, por justamente parecer demais como minha mãe era comigo quando eu era criança, em seu nível de Super-proteção com o filho. O melhor de tudo isso, é que é feito de forma muito, mas muito comum e humana. As situações acontecem e os personagens apenas, reagem a elas. Isso foi formidável!

E as atuações?

Todos os personagens do filme são incríveis! Mas se eu puder destacar um, pelo peso dramático e ao mesmo tempo resoluções e mudanças que ocorrem no filme, Barry Kheogan como o Eterno Druig foi o que mais gostei. Porém, todos atuarem incrivelmente no filme. Foi muito legal ver musas dos anos 90 como Salma Haiek e Angelina Jolie atuarem em alto nível em um filme do MCU. Querendo o senhor Scorcese ou não, filmes de super-heróis são tendência hoje em dia. Quem não quer participar?

Eternos
Cast do filme e suas contrapartes nos quadrinhos

Eternos então vale a pena?

Sim! Vale Demais! No meu ranking pessoal, este filme já é top 5! Eu recomendo a todos que assistam no cinema (se puderem e com segurança, a pandemia não acabou) ou quando estiver disponível na Disney Plus. O Filme foi feito com muito carinho. Você percebe que o filme tem uma boa direção, roteiro bem amarrado, ação desenfreada e muita, mas muita humanidade. Eternos é de longe, o filme mais humano de super-heróis já feito em minha opinião. ATENÇÃO: TEM DUAS CENAS EXTRAS!

Nota do Redator – 5/5

E aí? Meu review te deu vontade de ver o filme? Assim que assistir, vem aqui comentar! Fui.

Léo Palmieri

Léo Palmieri

Pai, marido, nerd. Fã do Surfista Prateado e do Superman, juntou uma equipe de super-pessoas para trabalhar no projeto Crossover NERD com o intuito de divulgar o belíssimo mundo geek!

Um comentário em “Eternos – Uma injeção de mais dez anos de vida para o MCU

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *