Cyberpunk: Mercenários – Pobre só se ferra!

Cyberpunk: Mercenários – Pobre só se ferra!

Cyberpunk: Mercenários (Cyberpunk: Edgerunners no original), é o mais novo anime produzido junto à Netflix e ambientado no universo Cyberpunk de Mike Pondsmith, se passando alguns anos do polêmico jogo Cyberpunk 2077. Acompanhe abaixo nosso review do anime.

Enredo

Em Cyberpunk: Mercenários, acompanhamos a saga do jovem David Martinez, um garoto que é estudante da Academia Arasaka, a corporação mais poderosa do universo Cyberpunk no momento, devido ao esforço de sua mãe. David, é um garoto que consome e vende “Neuro Danças” (Um Software que relembra momentos da vida de qualquer pessoa e você pode ter todos as sensações daquele momento) e tem, assim como todo garoto pobre no universo Cyberpunk, uma baixa expectativa de vida.

Porém, após uma situação envolvendo a eterna guerra de gangues e corporações em Night City (Cidade mais importante deste universo), David e sua mãe são envolvidos em um acidente automobilístico e sua mãe, não pode ser salva, já que todas suas economias sempre foram para os estudos de David e o Trauma-Team, que é tipo um serviço particular de saúde, é caríssimo e não fazia parte do orçamento familiar dos Martinez. A cena é de cortar o coração… A indiferença do Trauma-Team perto de uma pessoa morrendo, chega a ser revoltante. Isso de fato, é um acerto no anime. O Universo Cyberpunk é conhecido por ser cruel, ainda mais com quem é pobre.

É nesse ponto, que o enredo vira. David descobre que sua mãe, que trabalhava limpando cenas de crimes, havia pego um implante militar chamado “Sandevistan” de um Cyber-psicopata morto, e planejava vender ele para um grupo de Mercenários. David então, implanta o “Sandevistan” em si com a ajuda de um “Medicânico” e adquire uma velocidade absurda quando usa o implante. A partir daí, a equipe de Mercenários vai atras de David e o recruta para o time.

Cyberpunk: Mercenários
David

Cyberpunk, é uma distopia

Vamos ser sinceros aqui…

Embora tudo seja grande, tecnológico, magnífico e chamativo no universo Cyberpunk, ele é na verdade uma distopia. E não só uma distopia devido a um passado de guerras nucleares, brigas econômicas e outros confrontos entre as corporações, que se seguem de 2020 a 2077, por exemplo. O Universo Cyberpunk é a decadência da sociedade como um todo.

O conceito básico de Cyberpunk é: Alta tecnologia, com baixa expectativa de vida. Cyberpunk em si é um termo. Onde vocês o virem, considerem assim.

Cyberpunk: Mercenários

A Alta tecnologia é cara, geralmente pessoas muito ricas ou corporativas tem acesso à ela. Agora, a baixa expectativa de vida, está em todo lugar, à todo momento. O Universo Cyberpunk é infestado de pessoas pobres, em sua maioria que vendem o almoço para comer a janta e em determinada quantidade, decadentes. As classes mais baixas só tem acesso a altas tecnologias por meio do crime ou em situações que convergem dos crimes, como é o caso de David no anime.

O que mais chama a atenção em Cyberpunk: Mercenários, é que o anime se passa alguns anos antes dos eventos do jogo Cyberpunk 2077, mas todos os locais, pessoas e conceitos do jogo, aparecem no anime. O Centro da cidade, a Torre da Arasaka, os famosos “Canais” (São as pessoas envolvidas no mundo do Crime, que passam os contratos aos mercenários, mas geralmente não fazem parte do mundo corporativo), as músicas, o ambiente… o anime faz muito mais pelo universo do que o polêmico jogo da CD Projekt Red fez. Só de ver termos como Neuro-Dança, Cyber-Psicose e Trilha-Redes serem explorados em seu máximo potencial, já fazem o anime ser o Cyberpunk que todo mundo queria!

Cyberpunk: Mercenários
A carismática e eficiente equipe de mercenários que David faz parte

A crítica social faz parte do anime, e não poderia ser diferente. O Universo Cyberpunk é um espelho de uma sociedade como a nossa em um futuro que pode até acontecer, caso não mudemos como sociedade. O anime mostra muito dos sentimentos humanos em seu mais puro estado: Ódio, Amor, Egoísmo, compaixão, amizade, Luxúria, Ganância… É uma busca incessante pelo “ser grande demais”, “ser uma lenda”. Quem vive no universo Cyberpunk, tem que viver um dia após o outro e em sua maioria, viver para lutar outro dia.

Outro conceito que existe no anime e que foi muito bem adaptado neste universo, é o famoso conceito de que você só está por você mesmo. Tudo tem um motivo para acontecer no anime, e todos os personagens têm motivação e desenvolvimento. Achei incrível um anime de 10 episódios frenéticos, ter conseguido sintetizar e desenvolver isso com tanta maestria. Apesar de animes como Akira, Ghost In The Shell e outros serem ótimos exemplos e expoentes da cultura Cyberpunk em seus respectivos universos pessoais, Cyberpunk: Mercenários conseguiu fazer demais, com muito pouco.

Para maiores detalhes dos conceitos de Cyberpunk, gravamos um CrossoverCast que é um verdadeiro compêndio sobre cultura Cyberpunk, um pouco antes do lançamento do game Cyberpunk 2077 (Reparem como éramos esperançosos antes do lançamento do jogo). Ouçam no link abaixo! Está demais!

Vale a pena assistir Cyberpunk: Mercenários?

Vale! Vale demais! Cyberpunk: Mercenários é até o momento, o melhor anime de 2022 para mim. Eu, como um fã de obras Cyberpunk, me senti muito familiarizado com tudo que é mostrado no anime. Seu ritmo frenético, seu desenvolvimento de personagens e a fidelidade das críticas que o universo Cyberpunk traz, faz essa obra de 10 episódios ser um dos melhores produtos do gênero nos últimos dez anos. A animação do anime é excelente, a trilha sonora é insana (A Mesma do Game), a violência é extrema (ATENÇÃO PAIS E MÃES, o anime é para MAIORES de 18 anos!) e é uma decepção com a sociedade a cada minuto. E o final… Ah…. O Final! Mais Cyberpunk, impossível!

Mais Cyberpunk que isso, só DOIS DISSO!

Nota do Redator: 5/5

E você? Gostou de Cyberpunk: Mercenários? Comentem por favor aí embaixo, o que acharam desse incrível anime!

Léo Palmieri

Léo Palmieri

Pai, marido, nerd. Fã do Surfista Prateado e do Superman, juntou uma equipe de super-pessoas para trabalhar no projeto Crossover NERD com o intuito de divulgar o belíssimo mundo geek!

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.