Batman: O Longo Dia das Bruxas Parte 1 – É possível estragar o que é bom

Batman: O Longo Dia das Bruxas Parte 1 – É possível estragar o que é bom

Batman: O Longo Dia das Bruxas Parte 1 é a mais nova animação da DC, fazendo parte do novo universo animado compartilhado da parceria Warner/DC Comics, junto a Superman: O Homem do Amanhã e Sociedade da Justiça: Segunda Guerra Mundial. Acompanhe abaixo, nosso review SEM SPOILERS da animação.

Uma trama detetivesca… ou não!

Batman: O Longo Dia das Bruxas Parte 1 veio com a premissa de adaptar em animação a história detetivesca mais famosa do homem-morcego. A história dos anos 90 concebida pela dupla Jeph Loeb e Tim Sale, ganhadora do prêmio Eisner de melhor mini-série é uma história extremamente importante no cânone do Batman e na sua mitologia de personagens, que é muito vasta. É nesta história que acontecem grandes mudanças na vida do homem-morcego e se passa basicamente após os acontecimentos de Batman: Ano Dois (Recém republicada pela Panini). É inegável o sucesso que esta série em 13 partes fez no mundo dos quadrinhos. Fizemos inclusive, um review sem spoilers dela, caso se interessem em ler a história antes de assistir a animação.

Mas a animação consegue passar todo o clima noir, as investigações, a tensão da dúvida, a ação incrivelmente bem montada, o drama e as reviravoltas do enredo? Bom, por esta primeira parte… não!

O Enredo básico da animação segue mais ou menos o rumo dos quadrinhos: Batman, o comissário Gordon e o promotor Harvey Dent começam um trabalho pesado de investigação para conseguir colocar o maior mafioso de Gotham City, Carmine Falcone, na cadeia. Os três fazem um acordo de que contornariam a lei para o tal, mas que não quebrariam nenhuma paradigma da justiça para conquistar o objetivo. Ao mesmo tempo, um assassino começa a matar membros da família Falcone um a um e o faz em feriados, começando pelo Dia das Bruxas. Daí, este assassino começa a ser conhecido como “Feriado“. Porém, se o roteirista Tim Sheridan não quisesse pagar uma de “Brian Michael Bendis” e seguisse o roteiro perfeito que existe nos quadrinhos, teríamos aqui uma animação incrível do Batman no mesmo nível de Batman: Ano Um e o Cavaleiro das Trevas partes 1 e 2. Eu explico…

A animação possui ótima fluidez, está no traço atual das animações que a DC vem produzindo, tem uma ótima trilha sonora e a caracterização de Gotham City, seus ruídos e clima estão muito bem adaptados. A princípio, achei que a mudança do traço original para o traço atual traria problemas, mas não me incomodou nem um pouco. Ou seja, os aspectos técnicos da animação estão OK! O problema está mesmo no enredo.

Além da mudança de vários detalhes inerentes à história (vários mesmo!) , a animação perde muito tempo desenvolvendo situações inexistentes no roteiro do quadrinho, forçando situações e meio que já entregando de bandeja certas situações que só vamos ver, no fim de tudo. Achei esta decisão horrível, pois parece que o roteirista Tim Sheridan acha que está lidando com crianças que não são capazes de perceber a trama e que precisam ficar sendo contextualizadas o tempo todo. A Animação exagera no desenvolvimento de Bruce/Selina, Batman/Mulher-Gato, colocando muito tempo da trama investigativa de lado. Por ser uma animação em duas partes, tudo isso conseguiria ser contado naturalmente se usassem o roteiro original, mas parece que nosso amigo Tim Sheridan quer deixar sua marca no mercado… uma bem suja!

Batman: O Longo Dia das Bruxas Parte 1

O relacionamento entre Carmine Falcone e seu filho Alberto Falcone, um ponto alto dos quadrinhos e que já tinha uma química natural em se tratando de uma família de mafiosos, na animação ficou parecendo um grande Melodrama Mexicano. Cheio de exageros e justificando desde cedo, muita coisa para o futuro. Achei desnecessário. A Título de informação, minha esposa nunca leu o quadrinho, mas já matou metade do que vai acontecer no fim de tudo, só de assistir a animação comigo. E não é só o relacionamento dos Falcone que ficou descaracterizado, mas o relacionamento entre Harvey Dent e sua esposa Gilda também. Situações e diálogos forçados, comportamentos denunciando intenções de forma expressiva e outros problemas do roteiro, fazem a história perder todo o seu charme principal: A dúvida… Nos quadrinhos, você tem uma gama absurda de suspeitos para os crimes e de quem possa ser “Feriado”. Aqui, fica muito fácil descobrir até por leigos. A mudança de etnia de gangues que trabalham para Falcone foi um estratagema ridículo, para colocar cenas de ação onde o Batman e a Mulher-Gato tem de usar todo seu conhecimento em artes marciais para derrotar seus inimigos. Achei essa uma péssima escolha, já que a grande maioria das cenas de ação nos quadrinhos vêm de confrontos com vilões já conhecidos de Batman e que são colocados no meio da guerra de gangues entre a família Falcone e Maroni. Fora que isso comeu um bom tempo de tela da investigação principal.

Batman: O Longo Dia das Bruxas Parte 1

A partir daqui, qualquer outra coisa que eu citar, já se torna spoiler pesado do enredo dos quadrinhos e provavelmente, da animação. Mesmo alguns detalhes sendo mudados e até segredos revelados, provavelmente o desfecho seja parecido com os quadrinhos (Ou algo muito diferente, como na animação Batman: Silêncio).

Batman: O Longo Dia das Bruxas Parte 1

Sim, vale a pena! Aliás, meu review foi feito baseado principalmente pelo contexto dos quadrinhos e de como esta história é. Mas, vocês podem ter uma visão diferente da animação que talvez eu não tenha visto. Como citei, minha esposa não lê quadrinhos, mas gostou muito da animação. Aqui no Crossover Nerd sempre usamos o bordão “A Arte toca as pessoas de forma diferente!” por isso. É necessário que cada um assista e tire sua opinião da animação. Embora eu não tenha gostado tanto desta primeira parte, talvez a segunda seja bem melhor. portanto, vamos esperar!

Nota do Redator – 3/5

E vocês? O que acharam da animação? Curtiram? Deixem nos comentários as suas impressões! Até mais!

Léo Palmieri

Léo Palmieri

Pai, marido, nerd. Fã do Surfista Prateado e do Superman, juntou uma equipe de super-pessoas para trabalhar no projeto Crossover NERD com o intuito de divulgar o belíssimo mundo geek!

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *